Ciclo (Elianete Vieira)

Tempos de escola, tempos de sonhos além das incertezas do que o futuro trará.
Aos poucos, meio misturado, o estudante se vê um profissional. Parte do dia trabalha, outra parte estuda.
Até que acorda sem escola, apenas com obrigações mais sérias, percebe que não pode mais errar.
E assim os anos passam, todos os dias aprendendo algo a mais e sempre com o mesmo objetivo de um dia chegar lá.
Um local maravilhoso, idealizado como foco, objetivo de vida até.
Somando experiências e após 3 tentativas, consegue finalmente alcançar o objetivo tanto sonhado e planejado.
Não consegue dormir na noite que antecede o grande dia, o primeiro dia do resto de sua vida.
Bate uma incerteza de estar de fato à altura de tamanha conquista, mas uma mão amiga lhe mostra o quanto é respeitado e valorizado.
Seu mundo se abre às novas amizades, aos novos horizontes, novos conhecimentos, viagens, seu mundo se avoluma de novidades assim como eu peito de orgulho.
Reconhece sua competência, o quanto faz parte daquele todo, se fez presente e necessário. Não consegue se imaginar longe daquele mundo, só seu.
Quatorze anos se passam, muita água rolou pela ponte, muitas alegrias e amarguras também.
Após um ápice de alegria por mais um desafio vencido, eis que chega o momento nunca imaginado.
Por mais que outras pessoas passem por isso, nunca imaginou que passaria pelo mesmo sufoco.
A casa caiu, ou melhor, a casa não o quis mais. Os alicerces formados pelo sonho antigo, por tantos anos vividos ao vivo, vão ao chão.
Doze meses se passaram, mas a mente ainda está lá, naquele lugar onde se entregou de sangue, onde fez sua família.
Olhando para trás, constata solidão pois quem considerava sua família o ignorou por meses sem vê-lo.
Cadê a amizade que parecia sincera? Todos sumiram. Faltou a mão para levantá-lo da depressão que se criou à sua volta.
Era apenas um número, um valor que precisaram cortar, como fizeram com alguns outros na ocasião.
Vidas ceifadas como um nada. Uma tomada desligada de um aparelho velho para dar lugar a nova tecnologia, mais bonita e mais barata.
Um raio de sol surge iluminando um novo dia quando todo o ciclo recomeçará.
Viva a Vida!

Esse post foi publicado em Prosa e marcado , . Guardar link permanente.

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s