Noites de Sábado (Robert Brotzke)

Jaraguá do Sul possui uma mistura de gostos, de culturas, de sotaques, de preferências por estilos musicais, e todas elas possuem o seu espaço, e os ambientes em que os amantes de cada estilo se reúnem para se divertir nos fins de semana.
Há aqueles lugares que tocam apenas samba, trazendo um pouco da cultura carioca juntamente com suas músicas e cervejas; tem os ambientes que tocam música mais pesada, tanto do rock nacional quanto internacional; tem as baladas de musica eletrônica, e aquelas que tocam um pouco de tudo, mas especialmente sertanejo universitário e funk, com a vinda de artistas de renome nacional.
Em partes, casa estilo vive muito bem, sem precisar entrar em conflito com o outro, e todos aproveitam o seu merecido descanso se divertindo e bebendo, como todas as juventudes anteriores também fizeram. Porém, devido a sugestão de cada uma das músicas, o ambiente toma um lugar de mais ou de menos sedução, libido e desinibição. Quem nunca presenciou ou participou de uma balada em que nos pequenos corredores que haviam para circulação, as garotas foram descaradamente assediadas, com tapas e apertões na bunda? (algumas vão com shorts bem curtinho, justamente pra isso).
Quando os pais dessas garotas que começaram a sair para a noite há pouco tempo, pediam como ia ser, e pra onde iriam, recebiam a notícia de que todo o pessoal da escola e da faculdade estaria lá, para tranquilizá-los. Um único pedido dos pais, é pra filha jamais ir ao lugar que só toca rock, pois segundo eles, não é um ambiente de família, onde (no ponto de vista deles) só é frequentado por pessoas que bebem, se drogam e que não respeita garota nenhuma.
Duas irmãs, diferentes uma da outra por capricho da natureza, saíram juntas numa determinada noite, mas tomaram rumos diferentes: uma foi pro Pirata, e a outra em uma festinha “open bar” para elas, até a meia noite. No lugar que só toca rock, ela recebe uma fita de maior de idade para poder comprar bebidas, assim como a irmã que foi para a outra balada; Chegando lá, observa um ambiente estilo bar americano de filmes de faroeste, com um rock n’ roll tocando ao fundo, algumas mesinhas redondas em frente ao bar, mesas de sinuca distribuídas pelo espaço, e ao canto esquerdo o palco, com os instrumentos musicais de uma banda que se apresentara em seguida.
A outra irmã foi surpreendida logo na entrada por um gogo boy vestido de sunga preta, e uma gravata de garçom, que puxava as garotas mais tímidas (e ainda sóbrias) para o palco, fazendo-as sentar numa cadeira reclinável, onde ela foi vendada e segura por uma mão, que alisava o corpo do indivíduo enquanto o mesmo preparava o drink de Tequila, para deixá-la “enturmada”.
Enquanto isso, a primeira garota foi convidada a jogar sinuca com um rapaz cabeludo que se ofereceu pra fazer companhia, e meia hora depois, foram para a direção do palco, onde já começava o solo de guitarra da banda. Ela colocou um pé no palco, com mais ou menos 40 centímetros de altura, e agitava a cabeça sem parar, embalada pelo som distorcido da primeira música da banda. Um pouco atrás dela, uma “roda punk” começa a ser formada, inclusive com as garotas mais revoltadas com este sistema social podre, tornando o ambiente por três minutos, num divino caos organizado.
No outro lugar, a garota já tinha descido pra pista, quando começa uma sequência de músicas nacionais, do novo cenário musical, e ela começa a dançar sozinha. Não demora muito pra perceber que está dentro de uma rodinha formada por alguns rapazes, que passam a dançar colados com ela, e a oferecer bebidas sem parar. Quando ela se cansa e a música de torna chata, ela vai ao banheiro. Na volta é surpreendida por um dos rapazes da roda, que oferece todas as bebidas que ela quiser naquela noite, e em troca, ela teria que aceitar uma carona pra casa. Ela por um instante evita-o, encarando nos olhos com um sorriso congelado, mas acaba aceitando quando ele é surpreendido por uma das amigas de balada dele, que quando vai dar um beijo no rosto, quase acerta a boca; assim que essa garota se afasta, ela toma de sua mão o copo de caipirinha, e caminha até a mesa do rapaz. Ele se aproxima das escadas que dá acesso à área VIP, e informa aos seguranças que ela pode passar “de boa”, e assim ela vai até a mesinha, onde os dois trocam ardentes carícias, e antes que a festa terminasse, vão para o motel.
Acha que a outra irmã não se deu bem na noite? claro que sim! o garoto cabeludo que estava acompanhando-a, também fez a mesma proposta, e ela aceitou também, porque independente do lugar, as duas queriam mesmo é aproveitar a noite da melhor forma possível. A diferença é que pra primeira, o ambiente do Pirata não era tecnicamente sedutor, muito pelo contrário, ali as pessoas vão pra curtir a noite, os casais ficam juntos o tempo todo, sem se preocupar com um bêbado folgado que venha a mexer com a sua parceira. O cabeludo a convenceu após uma longa conversa e fichas de sinuca, e têm tudo pra iniciar um namoro, já que ambos estavam cansados da mesmice que o mundo se transformou… e para a outra irmã, estava em um ambiente propício para a libido e a luxúria, e a ida pro motel foi apenas resultado do álcool no sangue.
No dia seguinte, a irmã que foi curtir um rock contou que não foi junto com a outra, na festa “open bar”, e foi duramente criticada pelos seus pais, que falaram que lá não era lugar de moça direita. A outra, apenas sorriu e foi caminhar no parque no domingo a tarde, como o “bom exemplo” da família.
Robert Brotzke
Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Noites de Sábado (Robert Brotzke)

  1. Preconceito, preconceito, quando abrirás teus olhos?

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s