Beijo (Marcio E. Ochner)

A todo tempo
Em todo espaço
Algo que prende-se a pele
Que enlaça-se
Anda de cá pra lá
de sabor agradável
Florescência corporal
Que nos priva do calor visceral
Que nos freia ao ar
Como beija-flor
Que deflora
Que beija e permanece
Consciência íntima
Casualidade interior.

Marcio E. Ochner

Esse post foi publicado em Versos e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Beijo (Marcio E. Ochner)

  1. Um bom beijo esse!

  2. inacio.carreiga@gmail.com disse:

    Marcio,
    mais uma vez, visceral…
    Grande abraço.

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s