Se as roupas falassem… (Patrícia Grah)

Era sexta feira de um fim de mês. Conforme planejado, depois de uma longa viagem chego ao meu destino: um local de compras para lojistas.

Era um empurra empurra, muita gente, muitas sacolas, muitas lojas cheias de gente entrando e saindo. Começo a olhar as vitrines que mais me chamavam a atenção, à procura de peças que eu imaginasse que fossem agradar os clientes da loja aonde trabalho.

Fiquei pensando, o quanto comprar é uma tarefa difícil, afinal temos que imaginar o que as pessoas poderão ou não gostar. Mas como saber do que elas gostarão se nem mesma eu sei bem do que gosto¿ Mas enfim, deixa pra lá.

O que me deixou pensativa foi uma questão bastante interessante, ao menos sob o meu ponto de vista: a “vida” das roupas que eu estava comprando! Sim, eu diria “vida”, não porque roupas tenham uma vida propriamente dita, mas perante o processo todo que elas passam ao longo de sua existência. Resumindo:

Primeiro, começando lá na fábrica, aonde é feito o fio. A quantidade de pessoas que estão envolvidas neste processo;

Depois até este fio virar tecido;

Posteriormente até este tecido chegar ao lugar aonde será confeccionada a peça;

A peça que, passará pelas mãos de várias costureiras, aonde cada uma executará o trabalho de diferentes processos (pensei no quanto este trabalho serve para sustentar tantas casas, tantas pessoas que dependem delas…)

Esta peça que depois de confeccionada, passa pelas mãos de várias pessoas, que chega nas mãos do lojista do qual eu a comprei.

Chegando na loja onde trabalho, existe todo aquele processo em que temos que convencer nossos clientes à comprar tal peça. Ok, todo mundo sabe disto, mas muita gente nunca parou para pensar nisso, não é¿

Agora, o mais interessante disto tudo, é o que acontece depois. Se tivéssemos como registrar, somente por um curto período de tempo o que acontecerá com aquela roupa que eu comprei e depois revendi…

Quantas risadas aquela roupa ouviu, quantos elogios. Quantos lugares aquela roupa conheceu, quantas pessoas, quantas festas, quantos dias de tristeza… Quantas decisões foram tomadas usando aquela peça, quantas vezes ela viajou dentro de uma mala, quantos dias lindos de sol ela apreciou…

Quanta saudade ela acompanhou, quanta comida a sujou, quantas coisas… Quantas historias teria uma roupa pra contar, se tivesse uma vida pra viver!

E depois de muita surrada, de ser usada até que seu dono enjoasse dela, esta será possivelmente doada a alguém, e aí começará tudo de novo: as histórias, os lugares, as pessoas…

Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Se as roupas falassem… (Patrícia Grah)

  1. Marcio Erino Ochner disse:

    De tanto que eu já usei minhas calças, elas já sabem o caminho de casa, jamais se perderiam… risos…

  2. Patricia disse:

    Essa então deve ter muitas histórias, Marcio! hehehe
    abraço

  3. Já pensei isso sobre os sapatos de minha filha que conhecem do mundo, muito mais do que eu. rsrsrs

  4. Tiago disse:

    Olá Patrícia. Tomei a liberdade de ler seu texto para meus aluninhos de geografia. Estamos trabalhando com o setor secundário e queria que eles produzissem um texto criativo sobre um produto desde a sua origem até a posterior industrialização e comercialização.
    Eles gostaram e se inspiraram! rs

  5. Patricia disse:

    Você não imagina o quanto isto me deixa orgulhosa! Muito obrigada! Fiquei muito, muito feliz!!!
    Beijo Tiago! Tudo de bom!!!!

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s