Insanidade (Marcio E. Ochner)

Olhos que avistam dois momentos entre vidros,
Nele a reprodução da minha face.
Jogo-me num instante à eternidade do tempo,
Que se consumeem pensamentos, tedioso,oxidoem vazios.

Nunca achei que fosse tola de acreditar,
De que eu abandonaria o seu colorido,
Você é a luz que enche minhas noites.
És minha inspiração nos dias, em que, não passa de um momento escuro,

Sei que isso logo passa,nesse momento, ficarei dias sem nota-la,
Mais juro que tentarei enxerga-la doutra maneira,
Mais o que sinto, não posso deixarde expressar,
Parece ser pouco, somente para quem nunca teve algo,
é…
Você é meu todo…
Minha insanidade.

Carta para: Cintia P. Ochner

Anúncios
Esse post foi publicado em Versos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Insanidade (Marcio E. Ochner)

  1. Ah o amor…
    Amor e insanidade tão distantes e tão próximos.
    Bela missiva caro Marcio.

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s