Tempo… (Marcio Erino Ochner)

Sem escolha,
Nem querer,
Na corrida cerrada,
Que cessa ao tempo que passa…

Num momento cruel,
Sem compaixão,
Num oposto sentimento…

Das fotos recortadas sobre o espelho,
Dos amigos que refletiam a mão passada,
Do prato à mesa,
Na comida sem sabor,
Do vazio sem gosto,
Da amarga certeza…

Num pequeno momento,
De luz ofuscante,
No penduricalho que cai,
Do aparelho que vibra ao abrigo da mesa,
Nele anunciava o fim,
Cai e se parte em pedaços…

Cala-se a risco da vida .

Anúncios
Esse post foi publicado em Versos e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Tempo… (Marcio Erino Ochner)

  1. Vana disse:

    Ou o risco da morte?
    estampido no chão
    faísca
    síndrome de cão
    rosnei
    é sempre tudo igual.

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s