Acessão (Marcio Ochner)

Muita água corre,
logo ali, abaixo da ponte.
Rio que sorri em suas curvas,
a cessação da vida…
de Ph vazio e sujo…
Escória mortal…
Sedento por morte…
Então, cospe a penas secas…
Não, não da para obtê-la,
Há moléculas mortais,
Borra sorvida em água…
Sedenta por filtro humano,
Molecular sustento excremental,
Que desliza, move-se sobre a água…
Onde a visão novamente alcança…
um pouco mais de coisa mal feita,
correspondência navegante…
Que alivia somente o que o vento transporta,
Alimentando voantes ovíparas pretas,
de carniceiros bicos e fome mortal…
Da morte natural que flutua ao abrigo dela.

Anúncios
Esse post foi publicado em Versos e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Acessão (Marcio Ochner)

  1. Vana disse:

    Que belo e contundente protesto. Parabéns!

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s