Libertação (Sônia Pillon)

A vida é muito estranha, às vezes. Acho até que as pessoas esperavam que
eu chorasse,vestisse roupas escuras e me sentisse profundamente triste. Deus que me
perdoe, mas fazia tempo que não me sentia tão aliviada! Parece que tirei
um enorme peso das minhas costas! E pensar que eu quase não reparava
mais no pomar lindo dessa casa! A goiabeira está lotada.

Aquele cinamomo antes me parecia tão escuro, tão assustador, que me
dava arrepios!…Como é que eu não tinha reparado essas folhas tão verdes,
esse cheiro de mato molhado em volta?! E o pé de pitanga, que coisa mais
linda!… Como a natureza é sábia! Ah, como é bom fechar os olhos e ouvir
o ruído do vento e das folhas, e lembrar do colorido das flores rasteiras! E
as rosas do jardim? Hoje estou me sentindo com 20 anos de novo!…

Quantas vezes eu estive aqui, andando automaticamente por esse pomar,
reclamando que os passarinhos estavam comendo as frutas, a sujeira que
faziam por tudo… as folhas que caíam e eu precisava limpar… Sempre
ligada no piloto automático, como diz a minha filha… Sim, ela tem toda a
razão!… A minha vida era tão vazia de emoção que até a beleza desse lugar
passava despercebida para mim.

Mas hoje tudo parece diferente, porque meus olhos voltaram a enxergar
cores onde antes eu só via em preto e branco
Quantos passarinhos! Eles adoram as minhas frutas, que maravilha! Eu não
vou poder comer tudo, mesmo. Só assim eu sempre vou ser acordada pelos
passarinhos na janela…

Preciso trocar aqueles lençóis e esvaziar um lado do armário. Não faz
sentido mais guardar aquelas roupas. Melhor ainda, vou comprar uma
cama e um armário novos, e comprar roupas novas também! Vou dar uma
repaginada nesse visual, é isso que vou fazer!
Alô! É da agência de viagens? Quero reservar uma passagem para aquele
cruzeiro de final de ano pela costa brasileira. Sim, aquele que o Roberto
Carlos se apresenta. Ainda tem vaga? Sim, só para uma pessoa. Ótimo!
Obrigada! Tchau!
A vida é mesmo muito estranha, às vezes…


Texto originalmente produzido em fevereiro de 2008, e adaptado em agosto de
2010.

Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s