Gatos (Tiago Nascimento)

Eu tenho um gato.

Anônimo.

Já tive dois.

Um deles preferiu exilar-se no mundo a ter minha companhia cotidiana. Explico-me, era um tanto rabugento naquelas eras.

Com seu desaparecimento mudei. Já disse alguém que só damos valor à alguém quando o perdemos. Talvez estivesse certo…

O fato é que mudei. Tornei-me o melhor dono que um gato poderia querer e ter, pois há uma distância considerável entre querer e ter. Mas isso não vem ao caso agora.

Minha repentina mudança, forçada talvez, fez com que por alguns momentos meu segundo bichano me quisesse ter por perto. Por algumas breves tardes & noites nos aninhamos na mesma poltrona da sala, cada um com suas atividades, cada um com seus afazeres e prazeres: Um filme de Kubrick, tigela de leite quente, um cd de Jorge Drexler,  carícia na orelha esquerda, uma aventura com Hercule Poirot, cobertor quentinho (…)

Mas aí veio a paixão. A arrebatadora paixão. Quantos casamentos já não armou? E quantos divórcios também? A controversa paixão.

Meu segundo gato trocou-me por uma gata qualquer no cio. Respeitei sua opção, afinal sou um dono compreensivo, quase um pai. Mas isso não impediu um ou outro suspiro saudoso de escapulir-me pelo peito acima, boca-nariz abaixo.

Suspirei.

Mas sobrevivi.

E agora, quando já me havia acostumado com a falta dele, com a ausência dos pelos cinza no sofá da sala, com a inexistência de rastros felinos enlameados no chão da cozinha, logo agora; ele volta.

E volta galante. Miando de fome, mas imponente. Senhor de si. Como só os gatos podem ser de vez em quando, quando bem entendem.

Meu companheiro voltou. Voltaram as noites frias debaixo do cobertor com um olho no livro, um dedo no controle remoto, um fone no ouvido, um grito de gol livre da garganta, uma pata no colo, um focinho no leite, um homem e um felino misturados numa poltrona arranhada pelas unhas afiadas de quem será?!

Ele Voltou.

Mas como toda ação causa uma reação, segunda-feira no mais tardar mandarei castrá-lo. Sou um bom dono. Mas também sou ciúmento!

🙂

Anúncios
Esse post foi publicado em Prosa e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Gatos (Tiago Nascimento)

  1. larga mão de ser ciumento, rapaz, haha

    boa história pra começar o blog!

    que possamos dar muita vida a ele.

    grande abraço!

  2. Que nada. É meu companheiro pra ver o futebol.
    Não dá pra ficar sem ele.. hehe.

    É isso aí, pensamento positivo.
    Amanhã tem texto novo da Adriana e coincidentemente fala de bichos também.

    Seremos um blog animal????

  3. Cristina Pretti disse:

    Gostei muito Tiago! Vida longa ao blog! Abraço, Cris.

  4. Marcelo Lamas disse:

    E o gato deve ser colorado também.
    Excelente texto Tiago.
    Abraço do Marcelo

O que tens a dizer sobre o post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s